quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Gramaticando: as bizarrices do hífen (entenda como funciona)

Se tem alguma bizarrice maior (no bom sentido - se há um bom sentido nisso...) do que o plural de certos substantivos simples (como a regra do "ão", que pode ser de três tipos e não há nenhuma explicação, só resta c0decorar), essa bizarrice é o hífen. Não considere "bizarro", nesse contexto, um termo pejorativo para a Gramática; é apenas uma questão de "estilo" quando se evidencia a "complexidade" da coisa.

Bem, o hífen é aquele travessão que foi decapitado (por algum motivo, talvez tenha pego a mulher de outro sinal gráfico e rolou briga...) e ficou faltando um pedaço perdido por aí. Então os gramáticos, para resolver o problema do "travessão decapitado", resolveram fazer o seguinte: "travessão decapitado, agora você sai se chamar de... de... hum... de HÍFEN (o nome do cachorro dele) e você vai ter trocentas utilidades cujas regras serão complicadas e vão se complicar ainda mais com o Novo Acordo." E então, eis que surge o HÍFEN!

(continue lendo)



Bem, falando sério agora, uma das funções principais do hífen é na composição de palavras, seja a palavra formada por outras duas ou seja ela formada com prefixos. Ele serve para outras milhares de coisas, como a separação silábica e... bem... hum.... bom, para outras coisas ele é super útil.

 DECORÁRIO (considere um neologismo. Se tiver outro melhor, me avise)

1) O hífen é usado quando o prefixo termina em vogal e a segunda palavra começa com a mesma vogal. 

Exemplo: anti-inflamatório, micro-ondas, micro-organismo (se seu word sublinhar essas palavras em vermelho ele está mentindo!)

Exceções: auto-observação, auto-ônibus, contra-atacar. 

Além disso, essa regra não se aplica aos prefixos "co", "pro" e "re".

2) A mesma coisa daí de cima, só que com consoantes. 

Exemplo: inter-regional, sub-bibliotecário. 

Essas são as duas regras principais do hífen. Agora o que vem pela frente, são algumas outras restrições. E não se esqueça de que, principalmente na Gramática Normativa, "a toda regra vale uma exceção!" (enquanto na física, a toda ação vale uma reação e pronto, você acabou de estudar e vai ser feliz ligando a TV pra assistir a Grobu). 

3) Usa-se hífen em palavras iniciadas por "h" 

Exemplo: anti-higiênico, super-homem 

4) Usa-se hífen quando for usado o prefixo "sub" e a segunda palavra começa com "r"

Exemplo: sub-regional, sub-raça 

5) Usa-se hífen diante dos prefixos "além", "aquém", "bem", "ex", "pós", "recém", "sem", "vice". 

Exemplo: além-mar, recém-nascido, vice-diretor, sem-terra

6) Usa-se hífen quando a primeira palavra é "mal" e a segunda começa por vogal ou por "h"

Exemplo: mal-humorado, mal-intencionado 

7) Usa-se hífen com os prefixos "circum" e "pan" diante de palavras iniciadas por vogal, "m", "n" ou "h". 

Exemplo: pan-americano, circum-navegador

8) Usa-se hífen em sufixos de origem tupi-guarani ("açu", "guaçu" e "mirim")

Exemplo: cajá-mirim, jacaré-açu, amoré-guaçu 

Bem, essas foram algumas regras básicas sobre o uso do hífen. Se você tem prova amanhã ou tem prova daqui a cinco minutos, então senta da cadeira e chora decora. Sei lá, inventa uma música...

2 comentários:

PAULO VELOSO - VELLOSO2008 disse...

VINIC:
SÓ POSSO DIZER:
É ISSO AÍ............!!!!!!!!
VALEUUUUUUUUUU...............!!!!!!

Marilucia disse...

Por que o portugueses é tão complexo??? Por exemplo o uso dos "por ques" se é que escrevi certo, aff. Poderia tudo ser mais simples.

Como sempre brilhante Vinic!

Abraços!

Espero que corrija meus erros!