sexta-feira, 16 de julho de 2010

Você é de "Esquerda" ou de "Direita"?


Antes de qualquer coisa, a gente precisa saber a respeito dos termos “direita” e “esquerda”. Não estou falando de destro ou canhoto, mas sim de “ideologias” ou formas de pensamentos políticos.




Da onde vieram os termos?

Bem, na França, no século 18 (não gosto de usar números romanos, não que eu saiba pois 18 é XVIII, mas sei lá, não gosto. É XVIII mesmo né?). Bem, voltando: na França no século 18, o rei tava podendo no trono dele: ele mandava em tudo e torrava toda a bufunfa em festinhas com seus nobres. Aí o povo meio que se irritou (claro) pois eles pagavam impostos para sustentar a banha do rei e resolveram fazer a Revolução Francesa para mudar a forma com que o rei governava a França.

No parlamento, quem era contra o rei (o povão) sentava no lado esquerdo. Quem era a favor (os conservadores que não pagavam impostos e entravam nas festinhas, ou seja, principalmente os nobres), sentavam à direita.

Com o passar do tempo, foi associada a ideia de que quem era de “esquerda” era contra o poder e queria mudanças, enquanto quem era de “direita” era a favor.

Essa foi a forma com que surgiu as ideias de “direita” e de “esquerda”. Com o passar do tempo, essas ideias foram se associando às noções do Socialismo e do Capitalismo. Vejamos então:

Quem é de esquerda...

Quem é de esquerda se aproxima do socialismo, que é um pensamento que defende a vida igual para todos. Não há patrão e nem empregado: todos trabalham para o Estado (o Governo). O Estado controla tudo e a população vive igualmente: ninguém é mais rico que ninguém, todos vivem com o necessário para poder viver. O Estado cuida da economia e dita as regras do jogo. Como exemplo disso, as empresas que atuam no país devem ser estatais (do Estado), pois elas movem a economia e quem as controla é o Estado. A renda é igual para todos, porém não há oportunidades para enriquecer, pois não há pobres ou ricos, patrões ou empregados: todos vivem com a mesma renda. O que predomina é o coletivismo, pois é a produção do coletivo que sustenta o Estado, sustenta o país.


Quem é de direita...

Quem é de direita se aproxima mais do capitalismo, que é um pensamento baseado no lucro. O Estado não pode intervir muito na economia: é o “liberalismo econômico”, tem que jogar tudo para a iniciativa privada, ou seja, as empresas têm que ser privadas. Parte da população será mais rica, terá um padrão de vida muito melhor, enquanto outra é pobre. Há patrões e há empregados. Portanto, a renda é desigual para todos, porém todos têm a oportunidade de enriquecer, de empreenderem e de virarem patrões. O que predomina é o individualismo: riqueza nas mãos de poucos.

Claro que essas definições não são rígidas. Quem é de direita pode ter características de esquerda e vice-versa. Todas as definições que foram apresentadas representam uma ideia geral de cada tipo de pensamento.

Centro-Direita e Centro-Esquerda

Um indivíduo que é “centro-direita” é menos “direita” que um “direita”. O “centro-esquerda” é menos “esquerda” que um “esquerda”. É como se pudesse medir em graus: esquerda; centro-esquerda; centro; centro-direita; direita

Entenda +

Volte um pouco no tempo para o governo de FHC. A grande crítica do governo dele foi ter vendido tudo o que é empresa estatal, jogando tudo para a iniciativa privada. Ele fez isso para reduzir os prejuízos que as empresas estavam causando. Com o pensamento neoliberal, essa atitude caracteriza as ações de um indivíduo de direita: reduzir o intervencionismo do Estado na economia e abrir a economia para o mundo, facilitar a entrada de empresas estrangeiras para aumentar a qualidade dos produtos. O problema era que ele começou a vender demais: só faltou vender a minha casa também. Se desse tempo, a Petrobrás iria parar em mãos estrangeiras também...

Agora vamos para a chamada “Era Lula”. Lula é esquerdista, ou seja: se aproxima mais daquelas ideias de nação igualitária, renda igual para todos e etc... Como exemplo, temos a bolsa família, a bolsa escola e etc: ele se voltou mais para as classes pobres e se empenhou com elas. Além disso, ao contrário de FHC, criou empresas estatais. Porém, a crítica é em relação à Copa e aos Jogos Olímpicos: como esquerdista, a tendência é deixar tudo nas mãos do Estado. Será que o Estado vai conseguir preparar tudo para a copa? A Infraero é uma empresa estatal que administra os aeroportos do Brasil e os problemas com eles, que operam 40% acima do que podem, parecem longe de se resolverem. Não seria melhor privatizar e jogar para a iniciativa privada? É melhor ter algo de controle brasileiro e de baixa qualidade, ou algo privado e de boa eficiência?

NOTA: percebam que eu não estou defendendo nem acusando nenhuma forma de governo: apenas apontei os aspectos positivos e negativos de atitudes de esquerda e de direita para mostrar os dois lados da moeda. NÃO ESTOU fazendo parte de discussão política: meu objetivo aqui é ser neutro e mostrar os aspectos políticos de forma NEUTRA, pois esse é um dever de todos os cidadãos brasileiros: ter ciência de como a estrutura política de seu país se arranja a fim de garantir a democracia, pois todos nós vivemos num sistema federativo presidencialista e, sobretudo, democrático. Afinal, todos votam.

O VinicBlog condena qualquer tipo de mensagem tendenciosa: aqui não tem essa, aqui a gente não defende nenhum partido ou nenhum candidato. Ao contrário de muitos outros veículos de comunicação por aí, o objetivo do VinicBlog é puramente informativo para auxiliar o leitor. Quem quiser discutir, tem esse direito também: use os comentários, mas não conte com a opinião do VB, pois o VB é imparcial e é neutro.

Um comentário:

Multiplo disse...

Primeiramente está de parabéns pelo seu blog!
O conteudo é abordado de modo que seja de fácil entendimento!
Não conheço nada sobre politica porém estou tentando entender um pouco melhor como tudo isso funciona!
Você está de parabéns!