quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Haiti: parte 3


Nas duas últimas postagens desse série, temos narrado a história do Haiti de um jeito simples, breve e profundo, fiel à História e utilizando uma linguagem envolvente e organizada em tópicos. Hoje, vamos dar continuidade à essa história. Confira abaixo:

Vimos na postagem passada que o Haiti entrou novamente num período instável e conturbado. Depois de mais sete governantes tentarem controlar a nação, François Duvalier foi eleito presidente em 1957.

8) A Era do HORROR: Papa Doc e Baby Doc.

Como foi dito na introdução, François foi eleito presidente. Ele era médico sanitarista, com certo prestígio mundial. Por seus excelentes trabalhos realizados para combater a malária nas populações rurais, ele foi apelidado de “Papa Doc” (que quer dizer “papai médico”).

Porém, ele simplesmente virou um ditador e iniciou um período sombrio na história do Haiti. Usando a repressão militar, perseguiu seus opositores, torturou e assassinou muitos deles. Quem se encarregava disso eram os “bichos papões” (tontons macoutes), a milícia secreta do ditador.

Papa Doc mudou a constituição: agora ele era governador vitalício e o seu sucessor deveria ser seu filho. Esteve no controle da nação de 1957 até 1971. Então seu filho, Baby Doc (Jean Claude Duvalier), com 19 anos, assumiu o poder, dando continuidade ao período sombrio e à repressão militar até 1986, quando sofreu um golpe militar e foi deposto. Após isso, os militares se sucederam no poder até 1990: nesse ano, ocorreram eleições livres.

9) A ONU entra na jogada.

O padre Aristide foi eleito, mas alguns meses depois foi deposto e o Haiti volta a ditadura. Em 1994, Aristide volta ao poder com o apoio dos EUA. A violência, a corrupção e a miséria dominam a nação e em 2003, sob grande pressão, Aristide é ameaçado e promete novas eleições.

Em 2004, os protestos contra Aristide geraram muita violência em Porto Príncipe e em fevereiro, ele precisou fugir para a África por causa da pressão.

Diante da situação, que não parece ter fim, a ONU intervém no Haiti.

Na próxiam postagem, o post final dessa série, você vai conhecer um pouco mais a respeito da MINUSTAH.