sábado, 16 de janeiro de 2010

Haiti - Parte 2


Parte 2: Histórico 2

Você leu, na primeira parte, como o Haiti foi descoberto e como foi sua independência da França.

Hoje vamos continuar a narrar sua história. Claro: do jeito que só o VinicBlog consegue narrar. Confira abaixo:




4) O Haiti é unificado, dividido, unificado de novo...

Vimos no post anterior que Jean-Jacques se declarou imperador e unificou (uniu) a ilha. Porém, dois anos depois, ele foi deposto e morto. O Haiti é dividido e passa então a ser controlado por Henri Christophe, que funda um reino no norte, e por Alexandre Pétion, liderando uma república ao sul. Em 1820, o Haiti é novamente unificado, sendo governado pelo ditador Jean-Pierre Boyer até 1843.

5) O caos reina...

Após Boyer, o controle fica, literalmente, “fora de controle”. O Haiti foi controlado por 21 governantes: TODOS tiveram um fim trágico... Um foi envenenado, outro morreu na explosão de seu palácio, outros condenados à morte e outro morreu linchado pelo povo. Um deles, Faustin Soulouque, conseguiu conquistar a República Dominicana, mas logo foi derrotado e terminou exilado.

6) Os Estados Unidos entra na jogada

Percebendo a desordem com que o Haiti andava, os EUA aproveitou a fragilidade para intervir: começou a cobrar a dívida externa do Haiti.

As tropas dos EUA invadiram o Haiti, mas não ameaçaram a soberania. Muito pelo contrário: ajudaram nas finanças e contribuíram para garantir a ordem, dando uma certa estabilidade ao país, controlando as guerras civis e toda a anarquia.

Porém, com a oposição crescente dos nacionalistas, que não aceitavam as intervenções estrangeiras, os EUA retiraram suas tropas.


7) Mais caos...

Após os EUA sair, uma rebelião leva o negro Dumarsais ao poder, que é destituído por Raoul Magloire através de um golpe militar em 1950. Podem perceber a gravidade da situação: para governar a nação, era preciso liderar uma rebelião ou dar um golpe militar: não existia democracia.

Para acabar com isso, Magloire criou a primeira constituição (basicamente, um documento com leis para garantir a ordem). Pela nova constituição, o povo tem direito de eleger diretamente um presidente.

Porém, “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Magloire, mesmo dizendo que o presidente deveria ser indicado pelo povo, decide ficar no poder, apoiado pelo exército. Ou seja: ele disse A e está fazendo B.

Isso irritou o povo profundamente, iniciando uma violenta revolta popular e “expulsando” Magloire do poder. Após ele, sete governantes controlaram a nação, dando início a mais um período de caos e instabilidade.


Acompanhe a última parte dessa história, a qualquer momento, aqui no VB!