domingo, 1 de novembro de 2009

Como funciona a bússola?

Como funciona a bússola?

Você que está frustrado após percorrer diversos sites e não encontrar o que queria, ou então é curioso e gosta de aprender, ou está sem nada para fazer, chegou ao lugar certo: afinal, como funciona a bússola? Aqui, no VinicBlog, você vai ver passo a passo como funciona esse artefato e até vai aprender a fazer uma.Que façanha, hein? Seja bem vindo ao mundo dos posts mais completos, das explicações mais simples, onde nosso objetivo é explicar da forma mais clara possível, nem que seja física quântica. Fique ligado.

ITEM 1 – Funcionamento da bússola

Você escolhe o tipo de explicação que quer ler. A explicação completa está logo abaixo. A explicação resumida está depois da completa.


EXPLICAÇÃO COMPLETA
Passo 1 – Antes de tudo...

Antes de tudo, a gente precisa saber o que é um ímã, que tem tudo a ver com a história. Ímã é algo que gera um campo magnético ao seu redor e tem dois pólos: o norte e o sul. Os opostos se atraem: o norte de um ímã se atrai com o sul do outro e vice-versa. Até aqui ok?

Passo 2 – A bússola tem um ímã...
A bússola é um objeto que tem uma agulha livre para se mover. Essa agulha é um ímã: numa ponta está o pólo norte da agulha e na outra o pólo sul da agulha. Até aqui ok?

Passo 3 – A Terra é um ímã com 4...
A Terra é um ímã. Isso mesmo! O nosso planeta se comporta como um ímã gigantesco. Além do campo gravitacional, ele gera o campo magnético (próprio dos ímãs). Agora vem o pulo do gato: a Terra tem dois pólos geográficos e dois pólos magnéticos. NÃO PODEMOS confundir os dois. Vou explicar então:

3.1- O pólo geográfico, como o nome diz, é o pólo descrito pela geografia, ou seja: em cima, é o pólo norte geográfico, e em baixo é o pólo sul geográfico. Certo? Nenhuma novidade até aqui, ok?

3.2 – O pólo magnético é outro conceito: trata a Terra como um ímã. Então, nesse caso, em cima fica o pólo sul magnético e embaixo fica o pólo norte magnético. O quê? É isso mesmo, é invertido! Portanto, é preciso não confundir as duas coisas, ok? A figura abaixo, de nossa produção, ajuda a entender essa idéia:

Passo 4 – Conclusão
A Terra é um ímã e a bússola também. E os opostos se atraem, certo? Portanto, o pólo norte da agulha vai se atrair com o pólo sul magnético da Terra e o pólo sul da agulha vai se atrair ao pólo norte magnético da Terra. Quando você descobre para qual direção é o norte, você acaba descobrindo todas as outras direções. Mais uma figura, de nossa produção, para resumir essa idéia (a bússola está no centro):
EXPLICAÇÃO RESUMIDA

A bússola é um ímã e a Terra também. O que acontece quando você aproxima dois ímãs? Os opostos se atraem, certo? A Terra possui o pólo sul magnético, que fica em “cima”, e o pólo norte magnético, que fica “embaixo” (ao contrário que a geografia diz). A ponta norte da agulha se atrai para o sul magnético da Terra (aponta “para cima”, para o pólo norte da geografia) e vice-versa.


ITEM 2 – Como criar uma bússola?
Material:

1 – Agulha (ou pedaço de aço)
2 – Algo pequeno e flutuante (rolha, pedaço de isopor...)
3 – Um recipiente (ou prato) com água

O que fazer?
1 – Fazer a agulha virar um ímã, passando outro ímã pela agulha de 10 a 20 vezes.
2 – Coloque o material flutuante dentro da água
3 – Coloque a agulha sobre o material flutuante e deixe tudo em repouso

A agulha vai, aos poucos, apontar para o pólo norte geográfico da Terra (ou pólo sul magnético da Terra).

ITEM 3 – A História da Bússola
A bússola é invenção chinesa. Mas no início, ela era usada para prever o futuro. O quê? É isso mesmo, leitor. O camarada fazia o tipo da bússola que acabei de descrever (pondo sobre o recipiente de água), a coisa girava e apontava para um lugar (o norte geográfico). Era um negócio mágico.

De acordo com registros chineses de 1115 D.C (pouco tempo atrás, não?), foi nessa época que a bússola começou a funcionar no mar, que era útil apenas em mares calmos, por ser tão precário. Em 1300, algum cara resolveu pensar... e pensou! Que idéia genial: fixar a bússola entre argolas. Pronto! Quando o navio balançasse, a bússola ia ficar quietinha no seu lugar. Essa foi a primeira inovação. A segunda, foi ilustrar a rosa-dos-ventos, que deu mais precisão para os marinheiros.

Durante o século XIX, as bússolas passaram a ter interferência dos materiais metálicos dos navios, problema que foi resolvido compensando a diferença com um sistema separado de ímãs e metais.

Hoje, a bússola moderna é a giroscópica, que não é afetada pelos componentes metálicos do navio ou do avião. Ela sempre se mantém alinhada com o eixo norte-sul, apontando para o norte verdadeiro.

ITEM 4 – Aprofundamento
Se você não está satisfeito, tem dúvidas e quer aprofundar, aqui vai algumas observações:

1) O norte magnético não coincide diretamente com o norte geográfico. Há uma diferença na direção, chamada de declinação, que depende do local. Os mapas mais detalhados mostram essa declinação em cada área.

2 ) Por que a Terra é um ímã? O segredo está em seu interior. O interior da Terra possui muito ferro, que está em constante movimento regular. O movimento se explica pela rotação da Terra e pela convecção do ferro. Com esse ferro todo em movimento, resulta o campo magnético. Se a Terra tem campo magnético, então ela é um ímã.

Espero que tenham gostado ou que tenham entendido. Qualquer coisa, é só comentar a postagem.