segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Um tal de Daguerreótipo


Bom, vimos na última postagem que Nièpce partiu dessa para melhor (ou pior...). O seu Louis Daguerre continuou torrando os neurônios em busca de alguma evolução. Mas foi por acaso (do nada) que ele acabou criando um aparelho que conseguisse fixar imagens nítidas em placas de cobre com sais de prata. Então ele o nomeou como "deguerreótipo": dá pra ver nitidamente que o cara tá se homenageando.
Isso abaixo é o tal do daguerreótipo, criado pelo Louis. Foi criado em 1837 e em 1839 anuncia o invento para a Academia de Ciências de Paris. A notícia da criação de um aparelho capaz de produzir imagens nítidas, detalhistas, além de levar menos tempo que a realização de uma pintura correu o mundo de uma forma bem rápida. O problema era que uns certos caras, que se achavam "os tais", resolvaram copiar rapidinho o invento. Havia muitos interesses comerciais por trás dessa invenção.
De fato, ao olharmos para a história, podemos perceber que não foi só o Daguerre que inventou definitivamente o aparelho de tirar fotos. O que seria dele sem os conceitos da câmara escura, sem Nièpce, sem todas as experiências realizadas desde a época de Aristóteles?

Nenhum comentário: