domingo, 11 de março de 2007

"Quebrando o Gelo"

Após alguns dias sem postar absolutamente nada e selecionando as fotos
para a galeria, começo com uma poesia minha:



Fotografia,
Acalanto de sorrisos
Um retrato de alegria,
Imagem de uma lágrima caída
Como o orvalho de uma manhã,
A ira, um fogo inflamado
Descoberto por um olhar,
Um segundo imortalizado
A lembrança de um passado
O elo entre a emoção e a memória
Uma arte, uma inspiração

Fonte das fotos: treak earth

quinta-feira, 8 de março de 2007

O primeiro fotógrafo brasileiro

O próprio imperador torna-se o primeiro fotógrafo brasileiro, ao comprar em 1840 seu daguerreótipo. Mais tarde, ele se torna um colecionador, um verdadeiro mecenas da fotografia e começa a dar títulos para os principais fotógrafos do Brasil. No mesmo ano (1840), um camarada americano chega ao País e tira as primeiras fotos do imperador e de sua família, além do palácio de São Cristóvão.

quarta-feira, 7 de março de 2007

E a fotografia chega no Brasil!

Imagem obtida do site: www.mnemocine.com.br/fotografia

Como havia dito antes, o daguerreótipo foi lançado em 1839 e disse também que havia ganhado grande repercussão no mundo. No Brasil, nesse ano, o Jornal do Commercio (com dois "m"s mesmo) anuncia o invento. Mas foi somente no ano seguinte, em 16 de janeiro, que o aparelho chega no País, pelo capelão de um navio francês. Entra então, pela primeira vez na América do Sul, a daguerreopatia. Esse camarada (o capelão) levou então o equipamento até o imperador de nosso Brasil, que era o D. Pedro II. Fez três demonstrações, com sucesso. Veja abaixo a primeira foto tirada no Brasil.

As fotos a seguir, foram obtidas através do site: www.sergiosakall.com.br/montagem/fotografia-brasil


O primeiro fotógrafo brasileiro, foi de fato, o próprio imperador. No mesmo ano compra por 250 mil réis seu daguerreótipo, encomendado de Paris. Ele tinha 14 anos na época. Mas também, não foi o único fotógrafo. Logo começaram a surgir fotógrafos amadores.

Rio de Janeiro, século XIX- Autor deconhecido



segunda-feira, 5 de março de 2007

Uma coisa chamada Daguerreótipo (Parte II)


Esse ao lado é o tal do daguerreótipo, criado pelo camarada da postagem anterior. Foi criado em 1837 e em 1839 anuncia o invento para a Academia de Ciências de Paris. A notícia da criação de um aparelho capaz de produzir imagens nítidas, detalhistas, além de levar menos tempo que a realização de uma pintura correu o mundo de uma forma bem rápida. O problema era que uns certos caras, que se achavam "os tais", resolvaram copiar rapidinho o invento. Havia muitos interesses comerciais por trás dessa invenção.
De fato, ao olharmos para a história, podemos perceber que não foi só o Daguerre que inventou definitivamente o aparelho de tirar fotos. O que seria dele sem os conceitos da câmara escura, sem Nièpce, sem todas as experiências realizadas desde a época de Aristóteles?
(todas as fotos das postagens anteriores, contando com essa, foram obtidas do seguinte site: www.mnemocine.com.br/fotografia)

Uma coisa chamada Daguerreótipo




Daguerre, depois de fazer diversos experimentos e não ter chegado a lugar nenhum, consegue criar um aparelho, por puro acaso, que conseguisse fixar imagens nítidas em placas de cobre com sais de prata: nasce o "daguerreótipo" Veja abaixo a primeira imagem razoável desse aparelho. (À nossa esquerda: Louis Daguerre).





domingo, 4 de março de 2007

Um tal de Louis Daguerre

Entra nessa historinha um outro cara: Louis Daguerre. Ele conhece Nièpce após este ter publicado suas heliografias, que eram outras reproduções. Daguerre ficou feliz e se entusiasmou: as duas mentes juntas poderiam pensar melhor e criar técnicas melhores para as imagens. Então Louis se torna sócio de Nièpce no ano de 1829, depois de muito tempo tentando convencê-lo disso. Porém, duas mentes brilhantes mas uma na contra-mão da outra não deu certo. Daguerre queria obter imagens melhores, mais nítidas. Mas Nièpce queria descubrir algum meio de tirar cópia de imagens. Os dois não chegaram em lugar nenhum, quer dizer, Nièpce chegou ao caixão: depois de quatro anos sócios, este último morre. Daguerre continua as experiências do ex-sócio e consegue aperfeiçoa-las. Confira o resto a história nos próximos "capítulos"...

Um tal de Nièpce.




Esse camarada era um cientista amador, juntamente com seu irmão, Claude. Os dois, em 1815, já haviam inventado um motor a explosão. Após diversas experiências e depois de torrar muitos neurônios, Nièpce conseguiu uma imagem que viria a ser a primeira fotografia. Dê uma olhadinha para foto... que bela, não? Foi a primeira da história. Parece que Nièpce tirou da janela de seu quarto.

A história

A imagem já havia sido explorada desde a época de Aristóteles, por volta do ano de 350 a.c, pelos alquimistas e químicos. Mas foi somente no século XIX que a fotografia se desenvolveu bem. Foi no ano de 1826 que a primeira foto foi tirada, por um cara chamado Joseph Nicéphore Niépce, na França.

sábado, 3 de março de 2007

Este blog está voltado para a fotografia no século XIX. Na verdade, é um trabalho escolar que consiste em desenvolver qualquer assunto de interesse relacionado ao século XIX, que no nosso caso é a fotografia. Se você esperava ler a vida dos outros não fique constrangido... fique curioso.
Afinal, como surgiu a máquina fotográfica, a fotografia em si? A primeira coisa que vem na cabeça era aquela caixa enorme e pesada, onde um camarada se enfiava por baixo de um pano preto e finalmente tirava a foto. Então saía uma fumaceira terrível, junto com faísca e um flash de deixar um cego mais cego do que é. E na foto, em preto e branco, geralmente uma família enorme e todos sérios, sem um mero sorriso.